Vitral, 2007
Espaçadamente
Galeria Marcantonio Vilaça

Os objetos carregam em si histórias, imagens, desencadeiam sentimentos, sensações e nos fazem revisitar memórias. O algodão-doce é um objeto que simboliza a infância e está carregado de significados. Sua forma e suas memórias fazem alusão a um universo de sonhos e doces lembranças. Na obra Vitral, com o passar do tempo, o invólucro fica em evidência, a matéria (o algodão-doce) retorna a seu estágio primário (o açúcar). Sob a ação do tempo, o volume dará lugar ao vazio, ao contorno. Ao utilizar o algodão-doce, desloco um objeto que não pertence, a priori, à esfera artística para uma galeria de arte. Este desvio para um novo abrigo recondiciona o material e seus significados. Quais as diferenças entre o algodão-doce fora (um objeto não-artístico) e dentro da galeria?