Residência Reserva Serra Bonita
Instituto Uiraçu, Camacan (BA) 
Projeto em parceria com Isabela Couto           

Foi a partir de uma residência em Portugal, quando expus desenhos e aquarelas como parte de uma performance realizada no Museu do Traje, em Viana do Castelo, que voltei a pensar o desenho e a pintura como linguagem. Como muitos de meus projetos recentes envolvem deslocamentos no espaço, além da facilidade de transporte, ambos possibilitam estabelecer uma relação mais direta com os objetos e paisagens retratadas, tal qual as práticas de registro dos artistas viajantes do séc. XIX.

A Reserva Serra Bonita fica numa região de Mata Atlântica quase intocada, em Camacan, na Bahia, onde o acesso é feito com 4 x 4, subindo uma serra íngreme por quase uma hora. A reserva possui um centro de pesquisa de flora e fauna da Mata Atlântica, e inclui um museu e uma biblioteca especializada em mariposas. Há cerca de três anos o Instituto que administra a Reserva adquiriu algumas fazendas abandonadas de cacau e está implementando projetos de sustentabilidade com agricultores locais além de estar em andamento a inauguração de um Museu do Cacau.

O projeto inicial, meu e da artista Isabela Couto, tinha como foco realizar desenhos (e aquarelas) de observação da coleção de borboletas do museu mas exatamente no período de nossa estadia, o entomologista Victor Becker, responsável pelo centro de pesquisa, viajou, de última hora, para um congresso/coleta de campo no Equador. Embora tenham sido oferecidas visitas tanto ao museu quanto à biblioteca, não nos foi possível trabalhar diretamente nem com a coleção de mariposas nem com as ilustrações científicas disponíveis na biblioteca. Impossibilitada de seguir o planejado, decidi trabalhar a partir do que se encontrava disponível, frutos, plantas, insetos e sementes que abundavam naquele habitat tão exoticamente tropical (além dos desenhos e pinturas, realizei alguns experiências de vídeo e áudio, principalmente da chuva constante que caia quase que diariamente).