A Persistência da Memória, 2013—2016
Galeria de Arte do Banco Central
Projeto em parceria com Ana Gabriella Castelo Branco

Pela primeira vez na história, o Banco Central abriu ao público em uma única exposição, com duração de dois anos, um dos mais ricos e completos acervos artísticos de instituições públicas do país. Todas as 554 obras, de 62 artistas, que foram classificadas como de grande relevância artística, foram expostas ao longo desse período na sede da instituição em Brasília. O ambiente expositivo remetia ao local em que essas peças são guardadas quando não estão em exibição. Os quadros são armazenados em mapotecas e trainéis (equipamentos para guarda das peças) em aço, equipamentos que estavam na exposição. A cada quatro meses, a maior parte da exposição foi renovada para que todas as 554 obras pudessem ser expostas. Os seis módulos curatoriais compuseram um panorama do contexto político, econômico e cultural do Brasil no século 20. Três módulos eram cronológicos e três, conceituais.